27 de novembro de 2006

Ultimas horas

UIltimas horas ... não estou triste, nem feliz apenas, estranha.

As vezes foi uma pedra no sapato, as vezes foi o que me manteve amarrada ao chão, as vezes me afundei por ter essa rocha amarrada junto ao meu pé e, muitas vezes foi a pedra fundamental para minhas vitórias.

Deus sabe o preço que paguei e ainda pago por ser sincera, mas essa foi a minha escolha, só quero que seja respeitada, não precisa entende-la.



2 comentários:

M O N T O Y A disse...

Uma "pedra no sapato" pode significar muita coisa, agora sentir-se estranha, é reconhecer seu próprio ser, pois "ser estranha" é saber que vc não é vc 100 %....não sei o q acontece, mas já me senti estranho.....cada um tem seu habitat e nesses momentos acho que estava longe deste habitat......

Flá disse...

Blá blá blá .....mais babozeira!