22 de julho de 2008

Mais um caso real

Toca o telefone:

- Alô!
- Boa tarde, meu nome é Zezinho, sou do Estadão, eu gostaria de estar falando com a Maria.
- Aqui não tem ninguém com esse nome.
- Maria da Silva senhora?
- Aqui não tem ninguém com esse nome.

Em tom irônico e meio bravo:

- Senhora , não minta pra mim, desejo estar falando com a Maria.

- Eu estou mentindo? VAI ESTAR INDO PRA PUTA QUE PARIU SEU VIADO!!!!!!!!!!!!!

- Senhora , eu não costumo estar...tu tu tu tu tu ...






Acho que no inferno vc é obrigado a atender vários telefonemas desses telemarketings de bosta.
Se não bastasse isso, o infeliz ainda tentou ligar mais tarde, e quem atendeu foi meu marido, que repetiu que nesse telefone não tinha nenhuma Maria...
Não sei pq, o infeliz não ligou mais.
Agora falando sério, quando essa galera de call center será realmente treinada?
è um festival de gerundismo, de falta de classe, de inconveniência absurda.

3 comentários:

Anônimo disse...

não consigo assinar mais nessa tosqueira de tosg, entao vai anonimo mesmo....

manda toma logo no cu!!! bando de vendedor fdp do caralho!!!!

ainda fica bravinho o corno....

gabyshiffer disse...

É realmente muito chato esse tal gerudismo...
Estar falando com a pqp...
Eu vivo recebendo ligações com oferecimento de cartão de crédito...um saco!
Concordo com vc eh mto chato!

Luciana disse...

O que acontece é o turnover(rotatividade) dos calls centers é altíssimo, impossibilitando um treinamento adequado, e nos deixando a mercê de qualquer idiota, se vc ligar p/ uma operadora de telefonia por exemplo, vai fazer a mesma pergunta p/ 5 pessoas diferentes e obter 5 respostas diferentes!! Só matando, bjs